segunda-feira, 21 de abril de 2008

Um domingo típico

Domingo à noite. Um baiano típico olha pro relógio. São 22:27. Ele coça o saco, dá uma escarrada pra demarcar território e puxa o celular. A TV está ligada no Fantástico passando a entrevista dos pais daquela menina que morreu jogada do sexto andar. Disca o número de outro baiano típico.
- E ai seu porra... Fazendo o que?
- Diga viado! Fazendo o que? Você ainda me pergunta, misera!?
- Porra, man... Tá um barulho da porra ai. Tá aonde?
- Comendo água!! Amanhã é feriado e o baêa meteu 4 no vice lá no borradão.
- É mermo!! Porra ,véi... Tava na praia com a patroa e os minino e nem me lembrei do jogo. Foi lá?
- Que nada. Quem é que bota os pés naquele lixão? Aonde...
- Ahahah... Você é foda mermo... Quem tá ai com vocês?
- Rapaz... Tem uma barreira: Gelson, Cabeça, Ninho, Toco, Déu, Piruito, Rolha e um monte de sacana com a camisa do baêa. Vem pra cá, porra!
- Dá não man... Tô aqui numa maresia do cabrunco, sono da porra. Cê sabe... Passar o dia todo no sol, tomando nova schin e comendo aquele peixe frito de Seu Elton na praia é foda...
- Porra... E você nem pra me chamar, né misera? Aquele peixe frito é bom pra caralho. Eu ia na praia, enchia a cara e descia direto pro bar de Mequinho. Mas é niuma... Como é que tá Aninha?
- Tá bem sim. Já tá roncando e as porra. Chegamo umas sete hora aqui, batemos o rango e sono veio logo. Você sabe... Eu durmo tarde cumaporra... Tô na seca aqui, com uma vontade de bater na boca do sapo, dar uma bimbada.
- Ahahahah... Acorda a patroa!
- A misera ronca que é uma desgraça!
- Aahahaha... Vem pra cá então, misera. Amanhã é feriado! Vamo cume água que o Baêa meteu 4 naquelas puta!! Larga ela ai dormindo.
- Que nada. Dá não.
- Você é acorrentado é porra? Desce logo. Coloca a bermuda e puxa aquela camisa velha do Baêa do armário que eu tô ligado que você ainda tem. Essa viadagem de torcer pro São Paulo... Onde já se viu... Nasce na Bahia a porra e vai torcer pra aquele time de viado.
- Relaxe, man. A camisa do Baêa da CCS ainda ta guardada.
- Emtão porra, venha!! Olhe... Tem umas nega aqui que chegaram nestante. Sentaram numa mesa ali no canto e pá... Cabeça e Ninho já foram lá dá um chega. As mulé tão na boa, mas daqui a pouco começa a ficar beba, ai já viu...
- É mermo é?
- É, rapaz... Tô lhe dizendo. A gente arrasta aqui pro Motel Prazer Eterno... 1 hora é R$9,90! Foda garantida, confia no papa aqui.
- Porra man... Tá dando uma vontade da porra, mas num dá não. Dá não! Vou desligar aqui que essa porra tá levando meus créditos todo. A gente se fala!
- Mas é acorrentado mermo... Ai ai... Vá lá, man!

Telefone desligado, ele vai na cozinha. Olha na geladeira uma skol perdida lá no final. Antes de abrir vai ao quarto com um sentimento pesado; talvez seja o peixe frito da praia que dá uma azia daquelas. Mas não, não é nada disso. Olha a mulé roncando e os filhos dormindo. Abre o guarda-roupa e parece procurar algo. É a velha camisa do Baêa da CCS. Puxa o chinelo, ajeita a bermuda jeans desbotada e sai. Antes, abre a skol.

5 comentários:

Ombudsman disse...

rsrsrsrssr boa história. Bem baiana mesmo. Só não entendi o que é o CCS?

abraço.

Rodrigo Carreiro disse...

É uma antiga marca de material esportivo, lá pelo começo dos anos 90

Ombudsman disse...

Ah, claro. Lembrei. Caramba, essa camisa é velhona mesmo.

Mr. Mxyzptlk disse...

hehehehehehehe
típica baianidade (ou seria baêanidade?!)
o cara do bar é ciro... o q tá em casa é o tiro!

abraço

Paulo Bono disse...

é bom demais ler a baianidade, Carreiro. muito bom mesmo.

abraço