segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Guia de Sobrevivência nos Ônibus de Salvador - Módulo 2



Segundo Módulo
Os pontos de ônibus
Ou
Saiba se posicionar nos pontos para não perder o buzú

O problema dos pontos de ônibus em Salvador é que eles são, em sua maioria, improvisados em qualquer esquina. Tem lugar que não possui uma única sinalização, mas tem uma cacetada de gente esperando o bus. Você vai ter que seguir o fluxo. Aliás, essa é uma boa dica: na dúvida, siga o fluxo.

De qualquer forma, existem alguns pontos especiais e as estações de transbordo, aquelas enormes plataformas com uma incrível capacidade de amontoamento de gente. Nos pontos normais, fique atento a fatores externos: farmácias ao redor, ruas adjacentes, sinaleira, etc. Esses aspectos vão direcionar você a como se posicionar para não perder o buzú. Quem nunca ficou puto da vida porque um ônibus simplesmente “passou por fora”, ou seja, passou por trás dos outros ônibus e se picou?

Antes do seu buzú chegar, observe aonde exatamente os ônibus estão parando. Geralmente os motoristas param no mesmo local. Isso é importante se você for se acotovelar por um Est. Pirajá, Santa Mônica, Campo Grande R1, Est. Mussurunga e tantos outros. Por isso, o entorno do ponto é importante, já que esses fatores vão definir aonde exatamente seu buzú vai parar. Se por um acaso o ponto estiver cheio de ônibus (uns 5 ou 6), aí a situação complica. Fique atento, porque de acordo com as leis de Murphy... Bem, seu buzú pode aparecer e aí você terá que ser ágil. Se ele parar lá atrás, longe de ponto, na fileira, pode ir correndo de encontro ao dito cujo. Não espere no ponto, porque ele pode achar uma brecha, virar para a esquerda e se mandar por fora. Se ele vier rápido e por fora, tente olhar nos olhos do motorista e acene. Não, não coloque a mão vagarosamente, e sim dê um “legal” pra ele, firme e forte. Não se esqueça de correr também, sem medo de ser feliz. É capaz dele parar na frente de todos.

As Estações de Transbordo (Iguatemi, Est. Mussurunga, Pirajá, Lapa e etc.) são uma falsa facilidade, já que existem locais específicos para cada linha. Esses locais funcionam no papel, porque na prática, com a estação lotada, cada um pára em qualquer lugar. Portanto, inicialmente siga o plano citado mais acima, mas não perca de vista o fluxo de ônibus. Isso é muito comum na Estação Iguatemi e no ponto do próprio shopping, que é muito extenso. Você realmente não sabe onde ficar parado; o ponto possui uns 100 metros de comprimento. A dica é tentar ficar no meio e se seu ônibus apontar lá longe, siga a velocidade dele: se vier devagar ponteando o ponto, vá em direção a ele, mas se ele vier rápido e por fora, não se acanhe em seguir a dica do “legal”, e sebo nas canelas.

Próximo Módulo: "Ônibus vazio" ou "Nunca subestime um buzú vazio"

6 comentários:

Leonardo Araujo disse...

Ônibus?! O que é isso?
Hehehehe
Tá foda mesmo, má distribuição de linhas e infra-estrurura precária. Isso é ruim até pra quem não usa este tipo de transporte.

Sunflower disse...

aposto que no próximo módulo, vc vai ensinar como descer do ônibus e vai ter a frase clássica "peraêêêêêêêêêêêê, motorista!" porque o filho da puta sempre arranca sem que todo mundo tenha descido.

Ah, tem que ter essa frase, senão não é real.

beijas

sandro caldas disse...

O transporte púlbico em SSA é de doer. Viva João Henrique!!!

Leonardo Araujo disse...

Ô Rod, meu link tá errado na lista Blogs amigos. Tá com dois "http://". Ajeita aí. ;)

RAMON(ES) disse...

Isso precisa ser publicado. Guia de ônibus de Salvador. Ia ser sucesso de vendas!

Celine disse...

iuahiuahaiuahua
Adoooro!!
è isso mesmo que acontece. Corre, tem que correr, galera.