segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Morre um pedaço da Bahia: Dorival Caymmi

Uma pena para a Bahia, uma pena para o Brasil. Dorival Caymmi é uma figura importantíssima para a Bahia e seu povo, mesmo que este não tem noção da sua contribuição cultural. Já brinquei várias vezes com a figura de Dori aqui no blog – do fato dele cantar a preguiça do povo baiano e sobre as pessoas que só lembram das mesmas músicas dele -, mas nunca podemos deixar de notar sua validade cultural.

Sem Jorge e agora sem Dori, a cultura baiana sucumbe aos novos tempos. Quer dizer, culturalmente falando, estamos ainda bastante enraizados no passado. A turma tropicalista fez muito bem sua parte, dando continuidade numa crescente artística importante para o Estado a partir do século passado, que teve uma seqüência forte com Jorge Amado, Dorival Caymmi, João Gilberto, a turma tropicalista, Glauber Rocha e Raul Seixas. Criou uma tradição cultural e social forte que, a partir dos anos 80, não foi seguida.


Estamos carentes, isso é fato.

7 comentários:

Mwho disse...

Acho que esses personagens não morrem nunca. Ficam no subconsciente de gerações...

Sunflower disse...

Morrer, não morre, concordo com o mwho,só nao podem criar mais.

alvarêz dewïzqe disse...

Raul Seixas eterno!

junk é ter Carlinhos Brown, esse ninguém merece :S

R Lima disse...

Caramba.. coincidência é pouca né..r.s. para não dizer o contrário.. um conterrâneo e ainda nasceu no mesmo dia q eu..r..s.

Abçs,

RLima

Celine disse...

Ai, tristeza.
Nossa Bahia entregue ao pagode...
revolução, já

Larissa Santiago disse...

o q me intriga eh que amando tanto a Bahia ele vivia no RIo de janeiro...
enfim, luto!

Bruno Porciuncula disse...

Estamos perdidos...

Só vai nos restar Ivetes, Danielas, Claudias, Durvais, Bells....