segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Meus livros de 2008

Faço um breve comentário dos livros lidos em 2008. Minha média ainda deixa a desejar, porém sei que estou quilômetros a frente da média nacional. Já é alguma coisa.

Roberto Carlos em Detalhes – Paulo César Araújo
Fruto de polêmica, esse livro traz toda história de um dos maiores ídolos nacionais do século passado. Eu já era fã do “homi” e fiquei mais ainda. Vale muito a pena.

Assombro – Chuck Palahniuk
Só conhecia a obra de Palahniuk através do filme Clube da Luta, um dos meus favoritos. “Assombro” é uma coletânea de contos relacionados a uma história em comum e que revela o estilo realista, escrachado e inventivo do autor. Leia um dos contos.

1808 – Laurentino Gomes
Esse livro ganhou todos os prêmios possíveis e imagináveis em 2008, simplesmente porque é uma obra de extrema importância para a história do país. Nele, você irá encontrar todas as informações sobre a vinda da família real para o Brasil em 1808, numa narrativa fluente e didática, mas sem se tornar idiota.

Mentiras no Divã – Irvin D. Yalom
Definitivamente não é meu tipo de livro, mas me foi emprestado e, para não fazer desfeita, eu li. Aliás, foi numa época do ano em que eu estava com mais tempo livre. Yalom é um best seller, mas pelo menos esse livro não é auto-ajuda. Chega perto.

O Carrasco do Amor – Irvin D. Yalom
Ele de novo. Li os dois na seqüência e confesso que hoje não sei diferenciar qual é qual. Só sei que esse é mais fraco.

Secreções, excreções e Desatinos – Rubem Fonseca
Sempre é bom reler Rubem Fonseca, o mestre dos contos urbanos. Essa cópia foi presente de meu amigo Sandro e volta e meia eu pego para ler uns contos que estão entre os meus favoritos. Dessa vez eu li todos. Genial.

Capitães da Areia – Jorge Amado
Mais uma releitura que não me arrependo. Mestre da cultura baiana, Jorge Amado cria uma história ao mesmo tempo bonita e sofrida, ao mesmo tempo fluida e densa, ao mesmo tempo séria e divertida. Indispensável.

Gabriela, Cravo e Canela – Jorge Amado
Novamente o mestre, dessa vez criando uma narrativa muito próxima das grandes novelas brasileiras. A história flui de uma maneira incrível, com personagens fascinantes e cheios de mistério. Gabriela virou uma entidade.

Sexo, Drogas e Rolling Stones – José Emílio Rondeau e Nélio Rodrigues
Sou fã de biografias e essa é uma das melhores que já li, mérito da banda e também do formato pop do livro. A obra apresenta toda trajetória dos Stones, contando histórias sensacionais de Richards & Cia. Imperdível para quem gosta de rock n roll.

O que é Cinema – J. C. Bernardet
É um livro-pílula, pequeno, compacto e fascinante. Dá uma visão interessante sobre a história do cinema, seus propósitos iniciais e como se desenvolveu ao longo dos anos. Além disso, fornece ao leito uma perspectiva diferente para entender a sétima arte.

Os Sofrimentos do Jovem Werther – Goethe
Comprei numa dessas promoções à R$10. É um clássico da literatura alemã e mundial, que mostra a história de sofrimento do personagem diante de um amor conturbado. Não é piegas, e sim revelador.

Hamlet – William Shakespeare
Mais um clássico da literatura mundial, Hamlet é um livro denso e incrível por mostrar a dor e o sentido de vingança em diversas formas, não só do personagem-título. Vale a pena ler, até porque dá para devorá-lo numa tarde.

11 comentários:

Paulo Bono disse...

acho o Capitães sensacional.
qualquer coisa que remeta a amizade é do caralho.

li infinitamente menos que você. mas tb tento não contar ou calcular a média de livros que leio, senão é mais uma coisa para minhas neuroses.

Ontem mesmo passei mais de uma hora numa livraria. cara, livro tá muito caro.

grande abraço

Garota no hall disse...

Acho que li quase essa quantidade de livros tb. E Werther, nossa... é belo, mas me deixou muito depressiva quando li.

sandro caldas disse...

Bela lista e acho que a quantidade não é o mais importante, mas sim a densidade das obras que você lê (nesse caso, leu). 12 livros é acima da média europeia, se não me engano.
Não acredito na história de que é melhor ler um livro ruim do que não ler. O negócio é ler bons livros, que mudem algo em você ou confirmem de forma original um pensamento seu.
PS: Excreções é bom demais mesmo, né? Sou fã também!!!
Acho que vou te copiar, se me permite!
Abração, Rodrigão!!!!!!!!

alvarêz drewïzqe disse...

li ON THE ROAD do Kerouac, não me disse nada.

Larissa Santiago disse...

ehhh
capitães é bom mesmo...
reparando bem agora, tem um livro de Jorge Amado que eu li e esqueci o nomee o.O
abraços!

Frente disse...

preciso ler mais....

RAMON(ES) disse...

To com vários livros comprados acumulados pra ler, inclusive esse "Assombro" de Chuck Palahniuk.

Jó Bomfim disse...

Ah...queria eu tá com essa média..muito bom!!!

Mudei de endereço de blog,viu???

Inté...Jó

jorginho da hora disse...

Essa média sua tá de bom tamanho. Quanto a esse livro sobre o roberto carlos que vc cita no inicio da lista, fez tanta polemica que eu fiquei curioso prá ler.

Leonardo Araujo disse...

Bom, eu li mais que você. Então estou alguns quilômetro à sua frente. ;)
Tenho o Roberto Carlos em Detalhes, mas ainda não terminei a leitura. Vou fazer um post ao estilo deste seu e dou os créditos da idéia para você. Esta aí um meme que realmente pode valer a pena. ;)
Abraços, amigo!

Sunflower disse...

Nao li 12 livros esse ano.

Vergonha.

beijas